Archive for junho, 2008

Pocket Show de Cídia e Dan, na FNAC Campinas

Enfim, o dia chegou…

Aii,
Como sempre estava pensando antes de começar a postar, e acho que não sei o que escrever sobre o encontro com meus queridos, Cídia e Dan. Tudo que me vem a cabeça parece tão pouco, tão pequeno pra conseguir traduzir tudo o que a noite de quarta (25.06) representou na minha vida.

Tudo começou quando por volta das 13:30h eu, meus pais e minha avó, chegamos ao Shopping Dom Pedro, em Campinas. Não quis ficar sentada nas cadeiras reservadas pro show, por não saber se podia, e outra, ficar ali sozinha faria com que o tempo passasse mais devagar ainda, já que o pocket estava marcado para às 19h, então voltei pra FNAC, umas 16h e pouquinho. Conclusão, cheguei meio tarde e sentei na segunda fileira, o que fugiu dos meus planos, já que a idéia era conseguir sentar bem na frente deles, para poder gravar o sow todo, sem me preocupar com mais nada. Enfim, mesmo na segunda fileira, o video ficou bem bacaninha hehe.

Depois de muito papo com pessoas que só ‘conhecia’ via internet, e das quais gostei muito de poder conhecer pessoalmente, chega a grande hora. Com mais ou menos meia hora de atraso, meus lindos entram, e meu coração parecia que ia pular pra fora, com a intensidade que ele batia. Foi emocionante demais vê-los pela primeira vez cantando ao vivo, ali, tão perto de mim. Mesmo essa tendo sido a terceira vez que estava frente a frente com eles, a emoção foi grande demais. Ao mesmo tempo que era dificil acreditar que eu estava ali, diante de pessoas tão queridas e que eu esperei tanto tempo pra poder voltar a ver, parecia que estava entre amigos. Eles são humildes e carismáticos demais. Tenho verdadeiro orgulho em ser fã desses dois. Mesmoo.

Depois de 55 minutos de apresentação, vem a tão esperada hora de enfim estar com eles. A hora de poder conversar, abraçar, enfim, a hora boa! Depois de muito esperar, querendo ser a última, pois eu não sou boba, chegou a minha vez (mesmo eu não sendo totalmente a última a falar com eles). Fiquei naquele momento verdadeiramente realizada por estar ali. O clima estava tão bom, eles me trataram como das outras vezes, com tanta naturalidade que me senti entre velhos amigos ali. Essa parte vou contar com detalhes, porque foi inesquecivel demais. Deixo bem claro que os detalhes podem não ser totalmente exatos como aconteceu, pois a emoção foi grande demais pra lembrar de tudo exatamente como foi. Mas foi basicamente isso…

Eu estava segurando as duas caixas de presentes, mais os encartes que faltavam pra completar a minha total coleção Cídia e Dan autografada (Cd Duetos 2, DVD Duetos 2 e DVD Fama). Despachei tudo sobre a mesinha e corri pro tão esperado abraço na minha baiana linda. Abraça tão gostoso, tão apertado. Esse sem dúvida foi o melhor abraço que Cídia já me deu. Depois, como não sou boba, fui abraçar o gringo, que já havia pego os encartes para começar a autografar. Nisso, Cídia perguntou o que eram aquelas caixar na mesa. E eu disse que eram presentes. Entreguei a caixa dela pra ela, e disse que a outra era do Dan, que estava atento autografando os encartes. Cídia abriu sua caixa, e disse que já tinha ouvido falar do livro (dei de presente o livro ‘ De Bagda, com muito amor’, que conta a história de um cachorrinho de 5 semanas que foi encontrado em meio a guerra do Iraque, uma história real, muito emocionante. Na minha petulância, eu li o livro que comprei de presente pra Cídia hehehe), que queria mesmo ler. Posso estar enganada, mas acho que na real ela ja tinha lido o livro e foi muito legal dizendo que não tinha. Não sei porque tive essa impressão, posso estar errada, sei la. Agradeceu e começou a ver algumas fotos que coloquei dentro da caixa dela. Fotos das vezes em que estivemos juntos, em 2006 e 2007, e a foto da minha tatoo. Quando chegou na foto da tatuagem, Cídia perguntou o que era aquilo, ja sabendo a resposta. Ai eu disse que era a tatuagem que eu tinha feito e ela super empolgada e espatantada cutuca Dan pra ver, dizendo: “Olha Dan, Olha!!!..“. Nisso, Dan que ainda estava autografando os encartes super atento, olhou pra foto e disse mais espantado que ela: “NOSSAA, você fez? Tem ela aqui?” – apontando pras costas dele – e eu disse que sim, que tinha feito a tatuagem nas costas e tal. Cídia disse que também tinha feito algumas tatuagens, e perguntou se eu já tinha visto, e eu disse que sim.. Disseram mais coisas que não me lembro com detalhes, pois não imaginei que ficariam tão ‘chocados’ com aquilo. Fiquei muito, muito feliz por terem sentido que meu carinho por eles é realmente real. Acredito que sentiram isso, pelo menos foi o que o olhar deles me disseram, me olhando de uma forma tão gentil.

Depois da tatuagem e dos encartes autografados (Cídia se desculpou por estar com uma tendinite forte na mão e por conta disso, só autografou o nome dela, com certa dificuldade, junto com o que o Dan escreveu), Dan vai pra abrir o presente dele. E quando ele abre, minha segunda surpresa da noite, um novo: “NOSSAAA!!” (o presente dele foi a Biografia dos Beatles – que ele é fã – em inglês). Cídia e ele começam um papo sobre o livro, que era o livro que não sei quem ia comprar pra não sei quem, e tal, e Dan folheia o livro e solta mais uma frase empolgada: “É EM INGLÊSSSS!!”, e eu disse que era pra facilitar o serviço dele hehehe. Só sei que ele ficou muito, muitooo animado com o livro. Se levantou da cadeira, me abraçou e agradeceu mais uma vez, olhando pra capa do livro. Cídia disse que com certeza ele iria começar a ler na mesma noite, e que eu tinha definitivamente acertado nos presentes. Isso me aliviou muito, pois desde que comprei os livros estava muito insegura achando que eles já tinham. Mesmo ainda achando que Cídia já leu o livro, fiquei muito feliz com o carinho com que receberam meus presentes. Foi tudo de uma verdade muito grande. Foi sem dúvida o ponto mais alto da noite, ver o sorriso no rosto do Dan. Isso não tem preço, não tem palavras que descrevam como meu coração ficou após isso.

Depois de toda empolgação geral, conversamos um pouco, junto com meus pais também, que eu sei, se encantaram mais ainda com eles, e mais beijos e abraços, fotos e a despedida.
Como dói dizer ‘Tchau’ pra eles. Queria que durasse por muito mais tempo. É tão bom… Como pode, né? Duas pessoas tão distantes fisicamente, serem tão queridas e tão proximas espiritualmente ao mesmo tempo? Juro que não consigo entender esse sentimento de carinho todo, esse respeito, essa admiração sem tamanho por Cídia e Dan. É facil entender se você os conhece, mas mesmo assim, mesmo com todos os motivos do mundo para amá-los eu ainda não sei como é possivel todo esse sentimento existir dentro de alguém tão pequena como eu. É muito bom! Cada encontro me deixa mais encantada. Eles não têm a mínima noção do impacto que causam na vida dos fãs.. é surreal.. é bom demais.

Enfim, praticamente dois dias depois eu to com uma deprê surgindo, um vazio por dentro, por não saber quando isso vai poder acontecer de novo. Afinal foi um pouco mais de um ano desde o encontro passado, em Piracicaba, pra esse em Campinas. É triste não ter certeza de nada. A distância toda é muito dolorosa, mas eu sei, que tudo é compensado num novo abraço.

Só tenho a agradecer Cídia e Dan, por serem tão humanos, tão gentis e educados. Por tornarem a distância um pouco mais curta com o Blog (http://blog.cidiaedan.com.br), por serem tão especiais. Agradecer por terem feito e continuarem fazendo a trilha sonora da minha vida. Cantaram a trilha do meu primeiro grande amor, e continuam cantando e encantando todos os dias da minha vida com muita luz e amor.
Dan, que é um verdadeiro Lord, uma das pessoas mais engraçadas e cativante que eu conheço. Não da pra não se encantar por ele. Lindo demais.. carinhoso, gentil demais. Talvez seja o compositor mais brilhante que eu tenho conhecimento… Sou completamente apaixonada por esse gringo!!!!
Cídia é meu raiozinho de Luz. Amor a primeira vista, desde que apareceu pela primeira vez no Fama 3. Naquele primeiro olhar nela, meu coração já acelerou e eu pensei: “Quem é essa menina? Tô torcendo pra ela”. Enfim, ela foi o grande motivo de eu ter assistido essa edição do programa. A voz da Cídia mexe comigo de um jeito que eu não sei explicar. Uma voz única… Amo Cídia de uma forma fora do comum. Meu carinho por ela vai ser eterno, eu sei disso..
Hoje, Cídia e Dan pra mim são partes da minha vida. Um pedacinho que me faz muitoooo mais feliz.

Chega de escrever, senão o assunto continua rendendo e não tem fim. Mas poderia escrever um livro sobre meu amor por esses dois. Amo demais mesmo.. Não como uma fã histérica, mas como uma admiradora, com um carinho imenso.

Seguem algumas fotos:

 

Comments (3) »

12 de Junho..

Mais uma vez essa data chegou! 12 de Junho, dia dos namorados. Parece incrível que todo ano eu tenha que escrever o quanto eu não gosto desse dia. Porém, esse ano tem uma pequena diferença.
Até o ano passado, escrever sobre esse dia significava expressar minha indignação por essa data existir. É totalmente sem sentido. Pra que ter um dia específico pra se comemorar o dia com seu parceiro(a), quando isso deveria acontecer todos os dias? Pra mim, sempre foi e continua sendo uma data para o comércio ganhar. E ganha, muito…
Esse ano porém, continuo achando tudo isso. Continuo achando que é só uma data criada para o povo gastar dinheiro, numa ‘obrigação’ de presentear a pessoa amada. É forçado, é imposto, é mecânico. Mas não posso mentir que gostaria muito de ter gasto meu dinheiro no dia de hoje.. Não posso mentir que a indignação por essa data tosca se juntou com a indignação de passar por mais esse dia sozinha.
Cheguei numa etapa da minha vida, onde não dá mais pra perder tempo com algo meia-boca. Me sinto muito mais madura e preparada do que em qualquer outra época. Eu sei quem eu sou hoje, eu sei o que eu quero. E essa data me faz refletir que eu quero alguém pra dividir meus momentos. Eu quero alguém pra comprar um presente e fazer o comércio mais rico. Sim, eu quero poder comemorar esse dia tão tosco, toscamente com alguém.
Não me sinto carente, não é uma questão de estar ou não encalhada (pois realmente não estou), é uma questão de maturidade. É uma questão de comodidade, segurança.. é uma questão de ter um apoio onde eu possa desmoronar de tristeza ou transbordar de alegria.
Ao contrário de muita gente da minha idade, sempre fui desde cedo alguém muito mais madura que o normal, muito mais que o aceitável, e isso não é bom, nunca foi. Talvez por isso, eu hoje, com quase 21 anos, não queira mais perder meu tempo em sair ficando com um e outro por aí. Isso não me atraía quando eu era mais nova, e atrai muito menos agora, que vejo a vida passando com tanta rapidez. Hoje, eu quero poder me estabilizar no quesito amor. Quero saber com quem estou me dividindo e quem está se dividindo comigo. Quero algo fixo, padrão, rotineiro, meloso. Quero apelidos bonitinhos, quero ser entendida por um olhar, quero entender através de um olhar. Quero conhecer a família toda, quero compreender a falta de tempo, quero ser amiga dos amigos… Quero a liberdade de poder ser quem sou, e saber que sou aceita com isso, quero aceitar. Não quero mais ter que provar nada pra ninguém. Quero o sossego em assistir um filme no sofá de casa, de pijamas, enroscada com ‘alguém meu’; e quero a quebra de uma rotina, com algo surpreendente e exótico. Quero estabilidade…. Quero amor.

Fico me perguntando até quando a procura e a espera da pessoa certa vai acontecer. Até quando isso dura? Será que realmente existe um alguém certo pra outro alguém? Por mais que a vida teime em me mostrar e esfregar na minha cara o contrário, eu ainda sonho com isso. Não da pra aceitar que a vida vai passar e tudo o que teremos serão suposições, prévias sem finalizações. Eu quero o começo, o meio e o fim. Poderia já ter acontecido, ou ainda estar acontecendo, mas eu não deixarei de sonhar com o ‘meu alguém’. Eu sei que minha cara metade, a minha pessoa, a parte certa de mim já foi encontrada, mas quem me garante que uma nova metade não possa surgir? Quem garante que só exista UM grande amor? Prefiro e preciso acreditar que não é assim que a música toca. Preciso acreditar na possibilidade de sentir borboletas voando no meu estômago por outra pessoa. Não da pra imaginar a vida toda assim, nessa dor. As borboletas hoje não voam, elas se debatem dentro de mim, desesperdas pra sair. Por isso, eu preciso acreditar que no próximo tosco 12 de Junho, as coisas vão ser diferentes e eu vou fazer parte das pessoas toscas que fazem desse dia um aumento nas vendas…

“… E se eu puder sonhar com um dia perfeito pra mim, vai ser tudo como imaginei…..”

Comments (2) »