Quando tudo mudou..

Sabe seu Moço, eu fico aqui pensando o porquê de tudo isso. Houve um tempo em que era normal estar perto de você, você era normal, um mero Moço-Bonito. Hoje em dia, não sei explicar, mas só o fato de pensar em você, falar com você, estar com você, provoca euforia nas borboletas que cultivo no estômago. Não consigo entender o porquê dessa mudança, o porquê é tão inevitável não manter meu estado de espírito normal perto de você, ou quando penso em você. Tudo parece tão imensamente exagerado e fora do comum. Eu paro pra pensar e não consigo encontrar motivo pra sentir tudo isso..

Ah, pode até ser que eu saiba, sim. Isso tudo deve ser aquele tal sentimento que muitos dizem que existe. Um sentimento que poucos conseguem descrever ou entender. Deve ser porque eu adore tudo em você, ou quase tudo. Deve ser porque eu me encanto com os seus olhos fechadinhos quando você sorri, ou com o fato de você ficar passando constantemente as pontas dos dedos em você mesmo. Deve ser porque eu ache uma graça quando você faz graça, ate mesmo as graças sem-graça. Pode ser também pelo fato de eu esquecer do mundo quando te abraço, e mais ainda quando você me abraça. Também seja bem provável que isso se deva ao fato de eu me perder intensamente quando te olho nos olhos, e enxergo todo seu ser ali. Deve ser porque eu me arrepio da cabeça aos pés, sempre que suas mãos me tocam.. Toda essa ‘inexplicalidade’ deve ser por eu me sentir segura quando estou perto de você e por querer que nunca vá embora. Uma vez você já se foi, e parecia ser pra todo o sempre. Nunca foi tão difícil viver.

Você faz com que todas as borboletas se excitem dentro de mim. Elas fazem festa diariamente, e não me deixam sossegar, não me deixam dormir, não me deixam parar de pensar em você. E pensando em você eu instantaneamente as atiço novamente, e isso acaba virando um ciclo vicioso que parece não ter fim. E eu não sei se quero realmente que tenha um fim.

Tudo isso é tão alem do que eu possa querer que se torna impossível me culpar.  Se eu mandasse nesse meu rebelde coração, certamente você voltaria a ser apenas o Moço-Bonito, aquele que não causava o mínimo impacto em mim. Mas agora que tudo mudou, como eu faço pra conseguir estar perto de você sem ter a imensa vontade de te beijar? Sem querer seu corpo no meu, sem querer falar tudo o que minha emoção traz à tona e a razão impede que se torne ‘ouvível’? Como fazer para acalmar as borboletas aqui dentro se tudo isso que eu sinto é tão imenso e verdadeiro? Eu tenho mesmo, mesmo que impedi-las de voar? Eu não quero que parem. É bom senti-las… mas elas complicam demais, pois não me deixam ser racional o bastante pra voltar a te ver apenas como o Moço-Bonito.

Enquanto nada parece ter uma breve solução eu continuo aqui. Eu, minhas borboletas e o tempo. Dizem que o tempo é o senhor da razão, né? Espero que ele seja bem razoável comigo, com as borboletas e com esse sentimento que não se consegue explicar….

“Every Night and day I’m gonna love you, over and over… Dia e noite, sem parar…”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: