Ela…

Ela é a típica menina sonhadora-sensata. Ama descontroladamente, mas pondera cada sentimento com toda a força que pode. Ela sabe que nem tudo são flores, mas tenta a qualquer custo cultivar seu próprio jardim.
Há tempos, ela se apaixonou pelo Moço-Bonito, de cabelos lisinhos e sorriso maroto. Um menino de pele branquinha, de olhos profundos, de jeito meigo e ao mesmo tempo firme, forte, intenso.
Quando esse sentimento começou, ela se perdeu loucamente, pois jamais havia pensando em sentir tudo aquilo. Ela levou tempo para se acostumar, e para entender o que aquele turbilhão de sentimentos significava. Quando ela conseguiu assimilar tudo, borboletas, mariposas, passarinhos e afins voavam pelo seu estômago. As noites se faziam mais longas, ela mal conseguia dormir, imaginando mil coisas, idealizando mil encontros, desejando freneticamente cada pedacinho do corpo, da alma, da essência dele. Nunca havia sentido aquilo antes.
Ela não sabe o que fazer, o que falar, como agir. Não sabe se toma alguma iniciativa ou se fica quietinha, na dela, e espera o tempo dizer a coisa certa a se fazer. Ela quer agir, ela quer gritar pro mundo todo o quanto ama o Moço-Bonito, mas se cala. Se cala por medo, por insegurança, talvez.
O desejo dela é correr o risco, se arriscar, chegar junto. O desejo dela é viver uma linda historia de amor, um belo conto de fadas. O desejo dela é estar nos braços dele, sentir o seu calor, a sua transpiração. Ela quer dormir encostada em seu peito, passar a noite toda conversando, sentindo sua respiração de perto, lhe fazer um carinho inesperado. Ela quer um amigo-homem. Um amigo pra confidenciar todo e qualquer segredo, pra deitar no colo e não sentir medo do mundo.. E ela quer um homem para poder ser a mulher que verdadeiramente é. Essa é a única certeza que não amedronta. Ela o quer. Ela o deseja. Ela sabe o quê e como fazer, só não sabe se pode.

Anúncios

Leave a comment »

Esse tal sentimento…

Sabe, eu tentei durante todo esse tempo seguir minha vida e, definitivamente deixar de lado todo esse sentimento que explode no meu peito. Desde o inicio eu sabia que não conseguiria esquecer você, esquecer esse amor, mas tentei, com todas as forças que existem em mim, deixar isso guardado em um cantinho isolado do meu peito, e tentar, de qualquer maneira, viver sem você. E quando todos me diziam que com o tempo isso tudo passaria, eu tentei acreditar, mas hoje vejo que tudo isso é uma grande mentira. O tempo continua passando e aqui dentro, o cantinho isolado do meu peito que reservei pra te guardar, continua ganhando espaço e invadindo todos os outros cantos do meu peito, me sufocando, me entristecendo, me enlouquecendo de um jeito inexplicável.

Eu não quero te esquecer, e nem esquecer nossa historia, mas por um minuto apenas, gostaria que esse sentimento não ocupasse tanto espaço em mim, que não invadisse todos os meus cantos, e transpirasse por todos os meus poros. Eu queria por um minuto, não sentir essa tristeza, essa falta tão imensurável que você me causa.

Eu detesto o fato de desejar um abraço seu e não conseguir nem ao menos chegar perto de ti. Eu odeio lembrar do seu olhar e não poder olhá-lo de perto. Eu realmente odeio essa saudade que ficou. E segundo o que li em algum lugar, ‘saudade é o amor que fica’, e é ridículo a quantidade de amor que ficou em mim.
Se eu pudesse encontrar um meio de te trancar em um canto qualquer da minha mente, e te fazer não vir à tona cada vez que aquela música toca, cada vez que eu vejo aquela foto, cada vez que eu respiro… seria mais fácil viver.

Por que será que o Amor tem dessas coisas?? Por que tem que ser assim tão injusto? Por que sofrer por amor? Isso parece tão.. sei lá, tão o oposto do que deveria realmente ser. Não deveria ser permitido amar sozinho. Não deveria ser permitido derramar uma lágrima sequer por um amor não correspondido.
Não é desumano demais desejar uma pessoa do seu lado, um abraço, um beijo, sentir o cheiro, pegar na mão, olhar nos olhos, de alguém que ta tão distante? De alguém que nem sequer pensa em você? De alguém que simplesmente não se importa?… Não acho que isso seja justo.

Eu não sei. Não sei de muita coisa que gostaria de saber. Sinto muita coisa que não gostaria de sentir nessa circunstância, sozinha. É um sentimento tão amedrontador, um vazio tão imenso.. É uma dor tão profunda, que chega a ser surreal que isso possa realmente existir. Às vezes penso que é um castigo dos céus isso tudo. Por toda minha vida sempre achei ridículo quem se dizia sofrer por amor. Sempre achei que nunca iria me apaixonar perdidamente por um homem, que isso era exagero, besteira.. O que posso dizer? Bem feito pra mim, né? Bem feito..

Fico me perguntando se um dia eu vou conseguir sentir toda aquela felicidade outra vez. Será que um dia um novo amor chega? Será que um amor antigo um dia desaparece de verdade? Será que beijos e carinhos voltam a ser mais que simples beijos e carinhos, voltam a ter paixão? Será??? SERÁ?

No meio dessas dúvidas todas, misturadas com toda essa dor, a única coisa que realmente sei é que “o amor só é bom quando é pra dois”, do contrario, melhor mesmo é não amar.

***

Segue a letra e o vídeo da nova música do Dan Torres. Ele, que incrivelmente escreve e canta as trilhas sonoras da minha vida. Primeiro com ‘Esse Amor’ e agora com ‘Uma noite só’.. São meus sentimentos, minha história de amor contada e cantada por ele..

Uma Noite So (Dan Torres)
Composição: Dan Torres

Não quero mais o amanhecer
Acordar essa dor sem você do meu lado
Tem tanto que me faz te ver
E lembrar que agora eu to só

Alguém apagou a chama
E sem a luz, a noite me devora
Tem espaço demais na cama
Fecho os olhos e tento te encontrar

Por uma noite só
Eu quero tanto te lembrar
E me perder de novo
Mais uma vez no teu olhar
Por uma noite só
Voltar o tempo pra sentir
Você aqui

Não quero mais o amanhecer
Ver o dia chegar sem você do meu lado
Ouvir a sua voz chamar
E lembrar que agora eu to só

Dizem que com o tempo
Tudo passa e a vida se acerta
Mas eu não to vendo nada
Tempo passa e só quero te encontrar

E eu não quero mais chorar
Vou pra onde for
Pra ter você perto de mim
Eu não consigo te deixar
Eu não sei viver assim

Vídeo por Denise

 

 

 

 

 

Comments (5) »

O Fim de uma E.R.a

Oi Pessoas e não pessoas.

Hoje (depois de um bom tempo, eu sei), vim postar sobre algo que é sempre muito difícil pra mim: O final de um seriado.
Eu sei, juro que sei que isso é patético e que a maioria não acredita como isso possa ser importante na vida de alguém, mas infelizmente ou felizmente, não sei, é importante pra mim.
Sou uma pessoa digamos que, um pouco viciada por seriados, principalmente americanos. Assisto a praticamente todos, mas em toda a minha historia como telespectadora assídua desse tipo de trabalho, dois sempre foram as minhas grandes paixões: Gilmore Girls e E.R (mais conhecido como Plantão Médico).
Quando Gilmore acabou (depois de 7 temporadas, ou seja, 7 anos) fiquei arrasada. Foram 7 anos em que toda semana, sagradamente as quintas feiras, eu largava tudo o que estava fazendo e às 20h em ponto, só me preocupava em assistir as divertidíssimas Lorelai e Rory Gilmore. Cara, como eu me divertia com elas. Quando anunciaram o fim da série, fiquei realmente abalada, pois afinal, foram 7 anos com a mesma rotina, com a mesma expectativa e agendamentos para assistir. Quando acaba a gente pensa ‘E agora? O que serão das minhas quintas?’..

O mesmo aconteceu com ER hoje (Ontem, pois já passam da meia noite). Assisto a serie desde que me conheço por gente. Acredito não ter assistido desde o inicio na mesma época em que passou, mas pelo menos, assisto há uns 12 anos, desde quando passava na Globo, com o nome de Plantão Médico. Foram 15 tempordas – 15 anos de uma série no ar, um estouro de sucesso, de audiência, de fãs, de boas historias, interpretadas por excelentes atores.
Acredito ter assistido a todas as 15 temporadas, e é impossível não se apegar, não se apaixonar por isso, pelas personagens, pelos atores, pela trama. Como aconteceu com Gilmore, eu também sagradamente assistia semanalmente a ER. Se não dava pra assistir no horário original (às 22h – recentemente), eu obrigatoriamente assistia a reprise.
Hoje a série chegou ao seu fim. Eu sei que essa tristeza que eu sinto vai passar, ou pelo menos diminuir, mas é estranho pensar que quarta que vem não terei ER pra ver. É estranho pensar que depois de tantos e tantos anos, a rotina irá mudar. Ta, ta bom, é só um seriado – mas pra mim é parte da minha vida. Eu cresci assistindo.

Excepcionalmente hoje, o episódio teve duas horas de duração, e mais uma retrospectiva de uma hora dos anos anteriores, com a participação de alguns dos antigos atores e atrizes que participaram da trama comentando. Acho que essa retrospectiva em si foi mais emocionante que o episódio final. Como foi bom revê-los. Como mudaram. Como envelheceram – especialmente o ator Anthony Edwards (Dr. Mark Green), muito, muito diferente, o que mais se modificou.
Rever a Dra. Weaver, a Corday, a Susan.. nossa, trouxe lembranças agradabilíssimas, de uma época mais agradável ainda. Ainda mais rever a Maura Tierney (Dra. Abby Lockhart – minha eterna personagem preferida)…

Originalmente, cada episodio tinha como abertura cenas do seriado, enquanto os atores eram apresentados. De uns tempos pra cá essa abertura foi retirada, e somente aparecia o nome da série, em frações de segundos. Hoje, isso me emocionou muito, pois colocaram a abertura original. Arrepiou todos os pelos do corpo.
Alguns personagens que já saíram da serie participaram desse ultimo episodio, como por exemplo, Laura Innes (Dra. Kerry Weaver), Sherry Stringfield (Dra. Susan Lewis), Eriq La Salle (Dr. Peter Benton), Alex Kingston (Dra. Elizabeth Corday), Hallee Hirsh (Rachel Green – filha do Dr. Mark Green)… enfim, rever todos esses grandes, foi demais.
Ah, uma coisa que foi muito bacana, e que me pegou de surpresa, foi o fato de nesse último episodio ter a participação da atriz Alexis Bledel, que interpretou a Rory, em Gilmore Girls. Incrível como ela em qualquer papel não deixa de ser a Rory hehehe. Adorei.
Enfim, o ultimo episodio marca o fim de uma ERa na minha vida. Vai ser estranho me acostumar. Até não comprar, ou baixar, ou ter de alguma forma todas as 15 temporadas em dvd não vou sossegar hehe. O fim foi do jeito que se deveria ser, com uma grande emergência chegando ao hospital, e todos os médicos e enfermeiras mobilizados para o atendimento. A imagem de todos esperando as ambulâncias na porta do hospital é eterna.

Queria escrever muito mais sobre isso, mas sei lá, é tanta coisa que não sei por onde começar, então, pra não irritar quem resolver ler isso, vou parando por aqui. Todas as sensações e emoções que tenho sobre ER estão bem guardadas dentro de mim, e nem se eu conseguisse colocar em escrita o povo não entenderia.
Foi bom enquanto durou. Foi ótimo enquanto durou, e acredito que jamais, nenhuma série criada chegará aos pés do que foi ER.

Principais atores/médicos da série:
Anthony Edwards – Dr. Mark Greene (I – VIII)
George Clooney – Dr. Doug Ross (I – V)
Noah Wyle – Dr. John Carter (I – XI)
Julianna Margulies – Head Nurse Carol Hathaway (I – VI)
Gloria Reuben – Jeanie Boulet (II – VI)
Laura Innes – Dr. Kerry Weaver (III – XIII)
Maria Bello – Dr. Anna Del Amico (IV)
Alex Kingston – Dr. Elizabeth Corday (IV – XI)
Kellie Martin – Lucy Knight (V – VI)
Paul McCrane – Dr. Robert Romano (VI – X)
Goran Visnjic – Dr. Luka Kovac (VI – XIII)
Maura Tierney – Abby Lockhart (VI – XV)
Michael Michele – Dr. Cleo Finch (VI – VIII)
Erik Palladino – Dr. Dave Malucci (V – VIII)
Sherry Stringfield – Dr. Susan Lewis (I – III, VIII – XI)
Ming-Na – Dr. Jing-Mei Chen (VI – XI)
Sharif Atkins – Dr. Michael Gallant (VIII – X)
Mekhi Phifer – Dr. Gregory Pratt (IX – XV)
Linda Cardellini – Samantha Taggart (X – XV)
Parminder Nagra – Dr. Neela Rasgotra (X – XV)
Eriq La Salle – Dr. Peter Benton (I – VIII)
Shane West – Ray Barnett (XI – XIII)
Scott Grimes – Dr. Archie Morris (XII – XV)
John Stamos – Dr. Tony Gates (XIII – XV)
David Lyons – Dr. Simon Brenner (XV)
Angela Bassett – Dr. Cate Banfield (XV)

Seguem imagens do seriado. Ai que aperto no peito!!!

Até mais.
=)

Temporada 1
1ª Temporada: Drs.:  Susan Lewis, Mark Green, John Carter, Doug Ross, Peter Benton e Enfermeira Carol Hathaway

2ª Temporada: Drs.: John Carter, Susan Lewis, Mark Green, Carol Hathaway (enfermeira), Doug Ross, Jeanie Boulet e Peter Benton

2ª Temporada: Drs.: John Carter, Susan Lewis, Mark Green, Carol Hathaway (enfermeira), Doug Ross, Jeanie Boulet e Peter Benton

3ª Temporada: Drs.: Mark Green, Jeanie Boulet, Doug Ross, John Carter, Susa Lewis, Kerry Weaver, Carol Hathaway (enfermeira) e Peter Benton

3ª Temporada: Drs.: Mark Green, Jeanie Boulet, Doug Ross, John Carter, Susan Lewis, Kerry Weaver, Carol Hathaway (enfermeira) e Peter Benton

4ª Temporada: Drs.: Elizabeth Corday, Kerry Weaver, Peter Benton, Doug Ross, Mark Green, Carol Hathaway (enfermeira), Jeanie Boulet, John Carter e Anna Del Amico

4ª Temporada: Drs.: Elizabeth Corday, Kerry Weaver, Peter Benton, Doug Ross, Mark Green, Carol Hathaway (enfermeira), Jeanie Boulet, John Carter e Anne Del Amico

 

5ª Temporada: Drs.: Lucy Knight, Jeanie Boulet, John Carter, Mark Green, Peter Benton, Doug Ross, Carol Hathaway (enfermeira), Elizabeth Corday e Kerry Weaver

5ª Temporada: Drs.: Jeanie Boulet, Lucy Knight, John Carter, Mark Green, Peter Benton, Doug Ross, Elizabeth Corday, Carol Hathaway (enfermeira) e Kerry Weaver

 

6ª Temporada: Enfermeira Carol Hathaway, Drs.: Kerry Weaver, Luka Kovac, Robert Romano, Jeanie Boulet, Cleo Finch, Mark Green, Elizabeth Corday, Lucy Knight, Peter Benton e John Carter

6ª Temporada: Drs.: Kerry Weaver, Carol Hathaway (enfermeira), Luka Kovac, Robert Romano, Jeanie Boulet, Mark Green, Cleo Finch, Elizabeth Corday, Peter Benton, Lucy Knight e John Carter

7ª Temporada: Drs.: Robert Romano, Jing-Mei, Elizabeth Corday, Abby Lockhart (ainda enfermeira), Mark Green, Peter Benton, John Carter

7ª Temporada: Drs.: Robert Romano, Jing-Mei, Elizabeth Corday, Abby Lockhart (ainda enfermeira), Mark Green, Peter Benton, John Carter, Cleo Finch, Dave Malucci, Karry Weaver e Luka Kovac

8ª Temporada: Drs.:

8ª Temporada: Drs.: Elizabeth Corday, Robert Romano, Jing-Mei, Cleo Finch, Mark Green, Luka Kovac, John Carter, Abby Lockhart (ainda enfermeira), Peter Benton, Susan Lewis e Kerry Weaver

9ª Temporada: Drs.:

9ª Temporada: Drs.: Robert Romano, Michael Gallant, Abby Lockhart (ainda enfermeira), Susan Lewis, Luka Kovac, John Carter, Elizabeth Corday, Kerry Weaver, Gregory Pratt e Jing-Mei

10ª Temporada: Drs.:

10ª Temporada: Drs.: Abby Lockhart (já médica), Greg Pratt, Robert Romano, Kerry Weaver, Elizabeth Corday, Luka Kovac, John Carter, Samantha Targgat (enfermeira), Michael Gallant, Jing-Mei, Susan Lewis e Neela Rasgotra

11ª Temporada: Drs.:

11ª Temporada: Drs.: Kerry Weaver, Neela Rasgotra, Susan Lewis, Greg Pratt, Abby Lockhart, John Carter, Luka Kovac, Sam Targgat (enfermeira), Ray Barnett e Jing-Mei

12ª Temporada: Drs.:

12ª Temporada: Drs.: Greg Pratt, Kerry Weaver, Archie Morris, Luka Kovac, Abby Lockhart, Ray Barnett, Neela Rasgotra e Sam Targgat (enfermeira)

13ª Temporada: Drs.:

13ª Temporada: Drs.: Neela Rasgotra, Archie Morris, Tony Gates, Luka Kovac, Abby Lockhart, Greg Pratt, Sam Targgat (enfermeira) e Ray Barnett

14ª Temporada: Enfermeira Sam Targgat, Drs.:

14ª Temporada: Drs.: Sam Targgat (enfermeira), Archie Morris, Tony Gates, Abby Lockhart, Luka Kovac, Greg Pratt e Neela Rasgotra

15ª Temporada: Enfermeira Sam Targgat, Drs.:

15ª Temporada: Drs.: Sam Targgat (enfermeira), Archie Morris, Tony Gates, Neela Rasgotra, Simon Brenner e Cate Banfield

Vão deixar saudades….

Comments (1) »

Poesia do amor (viva a liberdade de expressão)

Seguinte meu povo (povo?!?!),

Hoje resolvi postar um texto que eu sei, muita gente vai questionar, mesmo que pra si próprio sobre o conteúdo (mesmo ao meu ver, não tendo nadica de nada de mais. nada mesmo).
Já tem um bom tempo que to querendo postar esse texto, que na época denominei  ‘Poesia do Amor’  (mas nem é uma poesia, eu acho), e minha intuição dizia pra não postar. Talvez por medo de comentários do tipo puritano, conservador, arcaico.. Enfim, Tô postando! Afinal de contas, estamos no século XXI, e viva a liberdade de expressão, viva os textos sinceros e viva a verdade de cada um…

Vou contar superficialmente a história desse texto, que foi escrito em 2007, numa madrugada, pra variar um pouco. Escrevi esse texto num dos momentos mais claros e certos da minha vida. Sabe quando tudo faz sentido e você tem certeza de quem é e do que quer? Pois bem, eu estava nessa linda e clara fase, e o texto surgiu, curtinho, sem pretensões, sem nada.. Apenas surgiu e eu registrei. Ali ele ficou, guardado sem ser mexido, sem ser mencionado. Era um texto MEU..
Há um tempo atrás, um certo alguém me perguntou: “VOCÊ JÁ ME ESCREVEU ALGO QUE NÃO ME MOSTROU?” – e esse texto foi a primeira coisa  que me veio a mente (pois pra essa pessoa, há MUITASSSSS coisas que escrevi e não mostrei). “SIM, JÁ ESCREVI”.    Fim de papo..

Anos depois  (não tantos assim, mas anos), cá estou eu, mostrando o tal texto. E se essa pessoa passar por aqui, verá um dos textos que eu lhe escrevi, mas nunca mostrei.

Adoro me sentir mulher nos seus braços, me sentir protegida em seu corpo e sentir o seu calor em mim…
Cada vez me sinto mais pronta e a vontade com tudo, com você! Cada momento, cada beijo, cada língua… tudo com você se torna perfeito.
Por algumas vezes nos detestamos, mas quando nos amamos, é pra valer.
Eu amo sentir sua mordida, suas mãos passeando pelo meu corpo, sua expressão de satisfação enquanto brincamos um no outro. Nada parece ter sentido, nada parece ter razão, só eu e você, ali, um sobre o outro, no mais puro e absoluto prazer.
Você é um vício que não quero perder. Seus beijos são como nuvens macias a passear sobre mim, seus dedos, seus dentes, suas unhas.. Tudo se torna uma só coisa que não se pode explicar em palavras, apenas em atos.
Demorei pra entender, mas hoje eu sei que quero você. Quero cada parte do teu corpo, acompanhado do seu coração. Quero ser a mulher da sua vida, e te fazer o homem mais feliz e realizado do mundo!

[originalmente: 16/01/2007 – 01:13am]

Comments (5) »

Será??!?

… ela quer amor. Ela quer amar. Ela quer ser feliz, oras.
Por mais que ele não a queira, ela não pode fingir que o amor não existe. Sim, ele existe e vai continuar a existir até Deus sabe quando. Não dá pra deixar de amar só por que ele não quer mais amá-la. O amor está ali, vivo, intenso, implorando pra explodir, pra aflorar, pra corroer, pra viver. Ela quer lutar por ele, lutar por esse amor, mas e ele? Será que ele quer tudo isso? E se não quiser, como ela fica? O que ela faz? Espera o tempo passar?? Isso é tão cruel. Ela adoraria que lutassem pelo amor dela, e por quê ele não deixa que ela lute por ele? Que será que se passa com esse ser?

É muita pretensão dele achar que o amor desaparece como num passe de mágica. Será que ele não sabe que os sentimentos são incontroláveis? Será que ele não sabe que não dá pra esquecer, ignorar, fingir que não vê, que não sente, que não dói? Não.. talvez ele não saiba de tudo isso mesmo. Será que um dia ele a amou? Será que ainda ama? Será que vai ser pra sempre, ou será que o pra sempre durou até quando chegou ao fim?

Talvez ele não saiba, mas o amor ainda está vivo no coração dela, no corpo dela, nos desejos dela. Talvez ele não saiba, mas o corpo dela chama por ele todos os dias, todas as horas, de todos os jeitos. Talvez ele não saiba que ela revive toda a mágica diariamente e sofre sozinha, sofre calada, sofre e sofre. Será que ele não sabe que ela o ama? Será que ele não gosta de ser amado? Será que ele não quer ser amado por ela ? Será que ele não se sente feliz por saber que é importante na vida de alguém? Será que ele ja se esqueceu de tudo, e que hoje nada disso mais importa? Mas se o amor não mais importa, o que importa então? Será que a historia do casal mais instável e ‘fofo’ do mundo chegou mesmo mesmo mesmo ao seu fim? Será que ele acredita mesmo nisso? Será?…

Pois sim, seu moço, ela continua a te amar como sempre amou. Ou melhor, ela o ama mais ainda, como nunca amou na vida. Ela sente queimar o peito, queimar o corpo, queimar as dores.. Ela sonha com seus beijos, os carinhos, os calores. Pois sim, seu moço, ela o ama!
Ela, secretamente deseja  que a última temporada desse seriado chegue logo, pois é quando todos os personagens ficam juntos e são felizes para sempre.

Ela se acha uma besta, e mais besta ainda ele, que não a enxerga.

A verdade é uma só: Ela o ama pra vida toda. E ele, será?…

“…Mesmo que eu tenha que mudar
Móveis e lembranças do lugar,
O meu olhar ainda vê o seu
Me devorando bem devagar….”

“…se eu fosse você, bem que eu ficava comigo
Só pra provar
o que me faz sentir vivo…

Comments (2) »

12 de Junho…. outra vez!

Pra todos aqueles que… 

*sentem o coração disparar só de pensar na pessoa amada 

*cultivam borboletas voando no estômago só de saber que vão estar com aquela pessoa 

*para todos aqueles que têm a sensação de proteção e segurança por saber que aquela pessoa é presente na sua vida 

*têm a certeza de que quando a campainha tocar, ao abrir a porta verá que quem está ali é quem realmente deveria estar 

*esquecem que estão assistindo a um filme, devido às brincadeiras de pés e mãos por debaixo da coberta 

*assistem a um filme como desculpa para poderem ficar abraçadinhos em baixo de um cobertor bem quente, sentindo a respiração do outro bem de pertinho 

*saltam correndo de onde estiverem ao ouvir o conhecido som da buzina ou o ronco da moto 

*vivem a etapa mais feliz da vida, podendo dividir com alguém cada detalhe de tudo o que se passa 

*não têm a noção do quanto são felizes por terem um alguém 

*choram por uma briga, e fazem de cada reconciliação um novo começo mais forte e mais feliz 

*ficam pensando meses antes de qualquer data, um presente especial e diferente pra comprar

*elaboram surpresas, por mais simples que sejam, só pra poder ver um sorriso iluminando tudo ao redor 

*se falam e se vêem todos os dias 

* têm como primeiro e último pensamento do dia a pessoa amada 

*têm um abraço acolhedor e singular por perto 

*sentem saudade, mas sabem que ao amanhecer a saudade vai embora e dará lugar à felicidade que ficará até a hora de se despedirem outra vez 

*têm no corpo do outro a maior fonte de prazer e satisfação 

*têm um outro alguém pra chamar de seu 

*se permitem ser de outro alguém 

*têm datas especiais para comemorar 

*não se sentem sozinhos mesmo estando 

*podem passear de mãos dadas na rua 

*ficam entediados assistindo televisão num domingo à tarde 

*podem ser verdadeiramente quem são, sem se preocupar com nada, por ter a certeza que tem ao seu lado um alguém que te conhece e te ama do jeito que é 

*desfrutam da intimidade do outro 

*se sentem à vontade para falar e fazer qualquer sacanagem 

*têm um corpo pra dividir uma cama, um sofá, um tapete, ou um canto qualquer 

*recebem e dão carinho 

*têm um outro alguém pra conhecer profundamente 

*têm um alguém com um perfume natural diferente de qualquer outro perfume que exista 

*têm um ombro pra encostar a cabeça 

*têm um acompanhante pra ir ao cinema 

*têm um alguém pra se preocupar 

*são a preocupação de outro alguém 

*têm um olhar de frente pra conversar em silencio e ser compreendido mesmo assim 

*têm a certeza de um amanhã concreto e feliz 

*têm o ontem como uma lembrança de algo contínuo e não como uma ferida aberta e saudosa 

*possuem duas famílias, duas casas, duas metades 

*encontraram sua tampa, seu par de chinelo, a metade da sua laranja 

*fazem o comércio mais rico em datas padronizadas 

*não se importam em gastar todo o dinheiro que tem com o outro 

*não se importam com o lugar, com o tempo, com as pessoas, com a quantidade, com a qualidade, desde que esteja com a pessoa amada do lado 

*têm o privilégio de poder crescer e acompanhar a evolução do outro, fazendo parte de tudo

*podem dividir uma aliança

*podem apelidar e serem apelidado bobamente

*têm um alguém pra dividir os amigos 

*têm uma boca especial pra beijar

*se sentem especiais 

*têm um alguém pra amar, e ser amado de volta 

*poderão dar e receber um algo a mais nesse dia tão toscamente comercial 

*compartilham quem são ao lado da sua alma gêmea 

Enfim, a todos aqueles que podem ser totalmente felizes e completos, 

Um Feliz dia dos Namorados…

Aproveitem a companhia da pessoa que lhe dá amor, carinho, que te faz sentir especial. Não faça bobagens, não pise na bola,  não desperdice esse privilégio de ter um alguém… não deixe a felicidade escorrer pelas mãos, pois o amanhã pode ser cruel e doloroso demais… Faça das pequenas e insignificantes coisas, as mais importantes e especiais. Tenha a noção de que só por que a outra pessoa não é exatamente como você deseja, e não demonstra todo o amor que você gostaria de ver, que ela não te ama da maneira mais intensa que pode. Não queira que seu relacionamento seja algo unificado. Tenha consciência que um relacionamento é feito por duas pessoas, dois seres diferentes, singulares, que necessitam de espaço e possuem um jeito próprio de encarar a vida. Nem todos pensam e sentem como você. Leve isso consigo pra sempre, pois a ignorância e o egoísmo podem destruir uma linda história de amor,  e o que sobrará depois disso, será doído e vazio demais. A perda, a culpa, a impotencia, a saudade que fica de ter aquela pessoa tão importante do lado, dói demais.. o tempo passa e a única coisa que diminui é o tempo que poderia ter sido muito melhor aproveitado. Portanto, não deixe o amor escapar!

Se cuidem.

Comments (1) »

Agora sim, Fantine Tho

Ai, ai…
provas da facul terminadas, é hora de tirar o peso das costas e aliviar a cachola. Hora de escrever sobre um dos dias mais esperados de todos os tempos: Meu encontro com Divíssima Fantine Tho!

Quem me conhece de anos atrás sabe do meu amor incondicional de fã que trago dentro de todos os meus poros por alguns ídolos. Lindíssima Fantine (sim, a ex Rouge) é uma delas, e a espera para a realização desse antigo sonho foi de 7 longos anos. Como foi ruim esperar. Como foi frustrante toda a espera. Como por várias vezes eu tive a certeza de que isso jamais aconteceria.. E eu adoro errar nesses aspectos, e graças ao Bom Pai eu tenho errado muito nisso. Mas apesar de toda angustia nesse tempo todo, acredito que aconteceu na melhor época. Aconteceu na hora em que tinha mesmo que acontecer. Sou grata por isso.

Do começo…

Terça feira, 07 de Abril aconteceu em Sampa um encontro de Fãs com a Fanta. Isso já estava marcado há algum tempo, peça chave para minha organização ser perfeita a ponto de conseguir ir (também se não fosse provavelmente surtaria geral). Saímos de Leme, eu e meu fiel companheiro de aventuras ‘idolatricas’, meu pai, por volta das 13:20h. Horas de viagem (adoro essas viagens ^^), horas de congestionamento dentro daquele inferno maravilhoso que é São Paulo e chegamos no prédio onde fica o Studio8 por volta das 16:30h. Como eu já havia mexido meus pauzinhos e já tinha conversado com um dos organizadores do encontro, sabia que assim que eu chegasse subiria pra falar com ele. O que eu não sabia era que subindo eu encontraria com a dignissima lá em cima também.

Passo-a-passo…

Subimos. Gilson veio nos recepcionar (aliás Gilson É O CARA! Devo grande parte dessa realização a ele), e conversando com ele, olho pro lado e vejo quem? vejo q u e m?? Sim, vejo ela, Fantine, toda linda e magérrima de um jeito nunca visto por mim antes. Linda! Mas linda mesmo… Olhei, surtei internamente e já fui fazer o que há tanto tempo esperei pra fazer: dei-lhe um abraço que fez com que toda a espera valesse a pena. Ali conversamos um pouco e dissemos que íamos descer pra comer algo (meu pai pra variar estava faminto hehe – por mim eu ficaria la em cima direto). Ela até nos explicou como faziamos para chegar a um shopping bacaninha, pra comer algo decente. Mas que nada. Descemos e entramos no barzinho da frente, bem meia boca, com um aspecto meio suspeito. Mas quem se importava naquela altura do campeonato com algo decente para comer? Eu mal comer conseguia hehe. Comemos e cerca de vinte minutos/meia hora depois voltamos para o Studio. Entrando, agora o que vi foi a cena mais incrível da minha vida, e da qual jamais esperaria ver um dia: A Passagem de Som. Como eu adoro passagens de som. Apaixonada por música como sou, não há nada mais emocionante do que ver toda a conversa, os testes, a ‘bagunça’ pra se chegar numa perfeição sonora final. Amei. Valeu demais a pena.. Eu parava pra pensar, analisar tudo e não conseguia acreditar que eu estava realmente ali, vendo um dos meus maiores ídolos em um momento tão íntimo, tão não acessivel pra tanta gente. Pra mim a passagem de som tem uma essência muito forte.. toda aquela preparação.. as vozes, as notas, a indecisão se está ou não no ponto.. se aquilo vai ser ou não o ideal pra quem está de frente ouvindo.. Aii.. fascinante pra mim. Inexplicável.
Resumindo: Passei o dia todo com a Fanta, mesmo sem ter muito contato direto com ela, mesmo ali só na observação.. Quem diria que um dia, eu, aquela fã que desde os 14 anos sonhava com um contato passaria um dia quase inteiro com meu ídolo? Com certeza nem nos meus mais exagerados sonhos pensava nisso.
Durante a tarde, a tia Su (pra quem não sabe, mãe da Fantine) apareceu lá com a Christine, filhinha da Fanta que é a coisa mais linda e gostosa do mundo. Como é linda a conexão das duas, a luz que ela transmite como mãe. Tocante demais, sincero demais.
Algumas horas de passagem depois, algumas pessoas VIPs começam a chegar (amigos dela, uns gringos que foram pra prestigiar o trabalho da Fanta, …) e a Fanta subiu pra se trocar. Depois desceu outra vez, conversou com o povo que estava la e blábláblá..
Umas 19:30h (não tenho certeza sobre o horario) o povo que foi pra ver o show (os fãs) começaram a subir, mas lógico que eles já estavam lá embaixo há algum tempo. Algumas pessoas muito queridas pra mim estavam lá. Pessoas que conheci nos acústicos da Lu e que se tornaram amigos queridos. Papo vai, papo vem e todo mundo ansioso pela volta da Fantine (pra eles, pela aparição dela). Havia rolado uma história de que a Aline (também ex Rouge, e também um ídolo pra mim) estaria nesse show, então, cada vez que a porta se abria geral olhava pra ela na esperança de ver a Aline entrando. Numa dessas portas eis que entra um rapaz (muito bonito, diga-se de passagem) que eu tinha certeza conhecer de algum lugar. Rápidos segundos tentando lembrar de onde o conhecia me veio um estalo forte: A DANI!. Sim.. esse estalo estava correto (esse rapaz, Victor, já havia visto no Orkut da Dani), e atrás dele entra a queridissima Danielle Mariuzzo, uma cantora que admiro muito, com um talento quase fora do normal, uma beleza tão fora do normal quanto e uma simpatia tão mais fora do normal ainda. Na verdade essa simpatia eu apenas imaginava que existia, pois até então meu único contato com ela tinha sido virtual. Mantinha contato bem regular com ela via e-mail/orkut há um tempo já, e acreditava que ela era mesmo muito simpatica e atenciosa. Mas pessoalmente vi que estava enganda, pois ela é muito mais do que eu achava que fosse. Ela é incrível, em tudo.
Quando o povo a viu entrando (muitos se lembram dela por causa do programa Popstars – o mesmo que lançou o Rouge – do qual ela também participou) logo se amultuaram sobre ela, tirando fotos, conversando e tal. Eu fiquei bem na minha, não acreditando que estava com dois grandes ídolos no mesmo dia. Era tudo tão surreal que custava eu acreditar que estava mesmo acontecendo. Conforme o povo ia se afastando eu ia me aproximando de mansinho, e quando ela me viu soltou um: “Essa eu conheço faz tempo..” – Aii, ela me reconhecia pessoalmente hehehee.. Como fã é besta, né? Me sinto besta mas é inevitável não sentir todas as sensações do mundo quando algo assim acontece. Beleza, continuei na minha, esperando o povo sair, e quando chegou minha vez, ela abriu os braços e disse: “até que enfim pessoalmente, né?” Morri umas cem vezes naquela noite hehee. A minha frustração por ter ficado o dia todo com a Fanta e não ter ao menos tirado uma foto com ela por timidez da minha parte até sumiu depois daquilo tudo.
Conversei um pouco com a Dani, tiramos nossa foto, e me realizei por completo ali. Era tanta emoção pra uma pessoa tão pequena como eu hehee.

Enfim… emoções extras a parte, o show começa. Fanta entra deslumbrante com um ar acanhado, com aquela carinha de Fantine que só quem é fã sabe como é, e começou o arraso. Cantou, conversou, fez graça, errou, se atrapalhou.. coisas típicas de Fantine. E foi maravilhoso. Cada parte, cada nota, cada som, cada olhar.. Foi perfeito! Sem dúvida me realizei.. realizei o sonho de 7 longos anos.

Após o show (que orgulhosamente registrei do começo ao fim, e do qual vou guardar pra sempre) ela recebeu os fãs. E recebeu bem até demais – diga-se de passagem – . Nunca vi alguém tão atenciosa e despreocupada com o tempo como ela. Ficou ali horas conversando e fazendo todas as vontades de cada fã. Sorte daqueles mais ousados que pedia o que vinha na telha sem medo de reprovas.. Até música da época do Rouge ela cantarolou com os fãs. Foram tantos vídeos de recadinhos para fãs que não puderam ir.. tantas e tantas fotos, tantos autografos, tantos copinhos suspeitos (abafa – papo interno de quem estava la hehehe),  e a minha hora não chegava de jeito algum. O povo tirava a foto, fazia o que queria e permanecia ali, ao lado dela, e ela ali atendendo a todos com muita vontade e atenção quantas vezes o fã aparecesse na sua frente, independente de quantas fotos ele já tivesse tirado. Nisso a Dani foi embora e consegui me despedir dela com mais um abraço daqueles e meia duzia de palavras.. Guardem esse nome!! Danielle Mariuzzo
Depois de longos minutos de espera a Fanta vira e diz: “deixa eu falar com a Thais que faz tempo que ela ta esperando”.. Tá, ok, só mais um surto interno pra coleção da noite. Já havia acontecido tantas surpresas que o fato dela saber meu nome nem me espantava mais hehe. Gentilmente ela autografou algumas coisas pra mim, tiramos nossa foto, meu pai tirou a foto dele com ela, LÓGICO, e conversamos um pouco. Depois, sob pressão do meu pai, que estava preocupado com o fato de como iríamos sair daquele bairro e pegar o caminho certo de volta pra casa, fomos embora. A pior sensação do mundo: ir embora sem a festa ter acabado, e logo eu, que gosto SEMPRE de ser a última a sair. Anywayz, pegamos o caminho da roça, mas embora quisesse ficar ali fui embora feliz da vida, com as energias e esperanças renovadas e um sorriso bobo de orelha à orelha. Um dos melhores dias da minha vida – se não o MELHOR!

Fiquei muito feliz mesmo em poder confirmar algo que eu ja tinha certeza: Meus ídolos são os melhores ídolos do mundo. A Fanta é do jeitinho que eu sempre imaginei, uma eterna criança com um coração gigantesco e o ídolo mais fã do mundo. Essa sim nos entende e nos respeita como merecemos. Ela sabe o quanto fã sofre e nos trata da melhor forma possível.. Desejo do fundo do meu coração que ela realize o sonho dela de fã!
A Dani também é do jeito que pensei que fosse, super simpatica e atenciosa. O que me surpreendeu foi o humor dela. Achei hilária… E só pra constar, ela é muito mais linda que a Lindsay Lohan hehehehee.. Grata surpresa daquela noite. Espero manter esse contato de agora pra sempre com ela. E torço do fundo do meu coração que ela tenha o espaço que merece na mídia, pois ela é um arraso.

Seguem minhas fotos com as estrelas da noite! 

Eu e Fanta..

Eu, parecendo um pinguim sem pescoço e a lindíssima Fantine Tho

Eu e Dani
Danielle Mariuzzo – tão querida..

Comunidade no Orkut que fiz há um tempo pra Dani:
http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=24321465

 PS1: Dylan, Rafa, Cris.. adorei o reencontro. Vocês são queridos demais. Jac, adorei te conhecer. Rafa, ja é uma pessoa muito especial pra mim, viu? Um prazer imenso conhece-lo pessoalmente. Espero poder no mês que vem me aventurar por Sampa com você!

PS2.: A Aline não apareceu por lá =(

É isso.. mais uma aventura ‘idolatrica’ que vivi, e sempre ao lado do meu fiel escudeiro.. O melhor pai do mundo!
Espero muito em breve poder ter mais aventuras do tipo pra postar aqui…

Beijos pra quem passar os olhos por aqui, comentando ou não…

=)

Comments (7) »